A Itália analisa como agir ante a Justiça do Brasil para obter a extradição de Cesare Battisti, ex-militante de extrema esquerda condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios, indicou à imprensa nesta segunda-feira o chanceler italiano, Angelino Alfano.

“Estamos estudando se podemos dar nossa opinião no julgamento, se poderemos intervir nesse caso para respaldar nosso pedido de extradição de maneira que Battisti cumpra sua condenação na Itália”, afirmou Alfano em coletiva em Roma ao lado do chanceler brasileiro, Aloysio Nunes Ferreira.

 “Para nós, é um tema sensível devido aos crimes atrozes cometidos, e também pela falta de arrependimento de Battisti”, acrescentou o italiano.

Nunes explicou que o governo espera uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o pedido de habeas corpus apresentado pela defesa de Battisti. Ele, que se negou a dar sua posição pessoal sobre o caso, considerou como algo “positivo” a possibilidade de que a Itália intervenha com uma figura judicial. “Conheço bem a Itália, estive exilado na França durante a ditadura. Sei como agiram os grupos armados. Não dou opiniões pessoais sobre isso”, acrescentou o brasileiro.

O chanceler italiano detalhou que a Itália entregou, através dos canais diplomáticos, uma declaração na qual se compromete a comutar a sentença de prisão perpétua imposta a Battisti em uma condenação de 30 anos de prisão, a pena máxima no Brasil, de maneira que a “extradição seja compatível”. (Veja)

 

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

One Response to Itália deve aceitar acordo para extraditar terrorista Cesare Battisti

  1. Tem mais que haver um “acidente” num tiroteio entre bandidos e a bala perdida acertaria o cretino lá onde estivesse, independentemente da distancia, e ai mandariam o corpo do bandido para a Itália

Deixe uma resposta